Digite abaixo o que você procura

Você sabe quanto consome uma lâmpada em um mês?

Lâmpadas podem representar 10% do valor da conta de luz; Smart Lâmpada Wi-Fi é a opção para quem busca economia

4 de novembro de 2021

Quanto gasta uma lâmpada da minha casa e quanto isso contribui na conta de luz no fim do mês? Estão aí duas perguntas que a gente realmente não para pensar. Normalmente, nos preocupamos com os equipamentos de maior potência como ar-condicionado ou chuveiro. Mas saber qual o consumo da lâmpada no final do mês pode ajudar a entender melhor o impacto na conta de energia elétrica e, ao mesmo tempo, encontrar soluções para redução dos gastos.

Para fazer o cálculo do consumo de uma lâmpada precisamos ter em mãos três informações: a potência da lâmpada, o número de horas que ela fica ligada e a quantidade de dias. Depois é bastante simples: é só multiplicar os números.

Vamos a um exemplo prático:

Se você quer descobrir o consumo de uma lâmpada de 80 Watts que fica ligada 6 horas por dia durante 30 dias por mês, a conta será: 80 x 6 x 30, que resultará em um consumo de energia de 14.400W/h.

Mas perceba que na sua conta de luz, os dados apresentados são de cálculos em Quilowatts/hora (KWh) e não Watts/hora (W/h). Por isso é preciso fazer a conversão de Wh para KWh. Cada quilowatt corresponde a 1.000 watts, portanto basta pegar a conta feita acima e dividir por 1000: 14.400W/h/1.000 = 14,4KWh. 

Se você tem curiosidade de saber o consumo de outros aparelhos da casa, pode, inclusive, usar o mesmo cálculo e conferir se o que aparece na sua conta de luz é de fato o que foi consumido na sua casa. Você também pode descobrir isso utilizando o nosso Smart Plug através do app Positivo Casa Inteligente, como explicamos nesse post.

Quanto a lâmpada custa no final do mês?

Tá legal, saber o consumo de energia de uma lâmpada da casa é importante, mas mais importante ainda é saber quanto isso impactará em reais no fim do mês. A conta para para descobrir o peso de uma lâmpada na conta de luz também é bastante simples.

Você sabe quanto consome uma lâmpada em um mês?

O primeiro passo é verificar na própria conta de luz o valor da tarifa pago por KWh. Depois basta multiplicar pelo consumo (lembrando que esse é o cálculo que fizemos acima). 

Vamos a um exemplo para ajudar a simplificar a coisa. Supondo que você pague R$ 0,105 por KWh consumido e, com o cálculo anterior, sua lâmpada consuma 14,4KWh. É preciso multiplicar os números: R$ 0,105 x 14,4KWh = R$ 1,512.

O resultado mostra que cada lâmpada (nas informações fornecidas) irá custar pouco mais de R$ 1,50 na sua conta de energia. Também é bom lembrarmos que você não possui apenas uma lâmpada em casa e que elas também podem ter potências diferentes e tudo isso irá impactar seu consumo no final do mês.

Supondo que você tenha 10 lâmpadas iguais pela casa, consumindo energia pelas mesmas 6 horas, durante todos os dias, no final do mês elas representaram R$ 15,12 da sua conta. Se sua fatura de luz for de R$ 150,00, isso representará mais de 10% do valor de tudo que é gasto em energia na sua casa.

Tipos de lâmpada e a smart lâmpada wi-fi como opção de economia

O primeiro passo para economizar é saber os tipos de lâmpadas existentes e o consumo de cada uma delas, por isso separamos elas aqui embaixo:

Incandescente: 20W | 45W | 70W e 80W

Fluorescente: 6W | 13W | 15W e 20W

LED: 3W | 7W | 10W | 12W

No cálculo que fizemos a demonstração do consumo de uma lâmpada, consideramos uma lâmpada incandescente de 80W, o que representou um custo de R$ 1,51 por mês. Se utilizássemos a lâmpada fluorescente de 20W, pelo mesmo período, o custo cairia para R$ 0,38. Uma diferença e tanto não é mesmo? 

Mas é possível ficar ainda melhor. Se utilizarmos a lâmpada de LED, a economia seria ainda mais significativa, e cairia para R$ 0,23. Além de ser mais econômica, a durabilidade da lâmpada de led também é muito maior. Elas são projetadas para durarem até 50.000 horas, enquanto as incandescentes duram 1 mil horas e as fluorescentes podem durar de 8 mil horas.

Dá para economizar mais? Sempre dá. Para isso, você precisa utilizar a Smart Lâmpada Wi-Fi da Positivo Casa Inteligente. Além de utilizar a tecnologia LED, ela também é inteligente.

A economia é gerada a partir da possibilidade de regular a intensidade da luz pelo dimmer disponível na tela do celular e também porque a Smart Lâmpada Wi-Fi permite que você crie programações para evitar o desperdício de energia.

O sistema de dimerização faz com que você explore o melhor da luminosidade em cada momento. Se precisar de uma luz branca intensa, você pode usar a potência máxima, mas se a ocasião pede uma luz amena – para descanso, por exemplo – você pode controlar. O fato de não utilizar toda a potência da lâmpada sempre que ela estiver ligada, gera economia na sua conta de luz.

Já a possibilidade de criar programações que sigam a rotina da casa vai fazer com que a Smart Lâmpada Wi-Fi ligue e desligue em horários determinados, evitando consumos desnecessários. Até mesmo sair para trabalhar e esquecer a luz ligada não é mais um problema, já que com a lâmpada inteligente você pode desligar (e ligar) a luz de onde você estiver na tela do seu celular.

Como economizar energia?

Investir em uma Smart Lâmpada Wi-Fi certamente é uma excelente forma de economizar bastante no consumo de energia elétrica, mas ainda existem algumas medidas básicas que podemos adotar no cotidiano para garantir que a economia seja ainda maior. Como já enfatizado, trocar todas as lâmpadas da casa por modelos LED ou inteligentes é um passo importante, pois só isso já reduz o consumo em aproximadamente 80%. Uma vez que já tiver feito isso, basta se concentrar nos seguintes passos:

Atenção ao tempo no chuveiro

Você provavelmente já ouviu falar que o chuveiro é um dos principais inimigos da sua conta de luz, especialmente porque é um aparelho essencial que utilizamos diariamente. Um banho frio de 15 minutos gasta em média 24kWh, enquanto um banho quente fica na casa dos 40,5kWh; convertido em dinheiro, os valores ficam em torno de R$ 8,83 e R$ 14,89, respectivamente.

Dito isso, é evidente que os banhos não podem ser demorados, não é mesmo? Especialmente em dias mais frios, quando a tendência é utilizar mais água quente. Procure reduzir o tempo de banho e conscientize a todos que moram na casa para fazerem o mesmo, pois isso faz bastante diferença no fim do mês. Além disso, tomar banhos mais curtos também economiza água e ajuda o meio ambiente.

Deixe os eletrônicos fora da tomada

Um erro muito comum que a maioria das pessoas comete é deixar todos os aparelhos eletrônicos ligados na tomada 24 horas por dia. O que muitos não sabem é que, mesmo desligados, eles continuam consumindo energia elétrica, mesmo que uma quantidade mínima. A estimativa é que, em média, 12% do valor total da conta de luz seja representado por esses aparelhos ligados desnecessariamente nas tomadas.

É claro que alguns eletrodomésticos precisam ficar ligados o tempo inteiro, como é o caso da geladeira, mas todo o restante pode ser desplugado quando não estiver em uso. Isso inclui televisão, computadores, videogames, microondas e qualquer outro eletrônico cujo uso não seja recorrente. Atenção também aos carregadores de celular plugados na tomada, pois eles também consomem energia elétrica mesmo quando não estão carregando.

Faça bom uso da luz ambiente

Essa é uma dica muito relativa, já que tudo vai depender da casa e da distribuição da luz do dia entre os cômodos. Porém, é claro que toda residência, seja casa ou apartamento, recebe luz natural em algum momento do dia. O segredo é aproveitar essa iluminação ao máximo e evitar deixar qualquer luz acesa nesses momentos, especialmente nos cômodos mais frequentados.

Mantenha janelas e portas abertas durante o dia, para que a luz natural se propague por todos os ambientes e também para renovar a casa com ar fresco. Outra dica valiosa é pintar as paredes internas de branco ou de cores claras, pois os tons mais suaves refletem o calor e ainda deixam os ambientes mais frescos. Além dos cômodos ficarem mais iluminados, isso também dispensa a necessidade de usar ventiladores e ar condicionado o tempo todo, reduzindo o consumo de energia elétrica.

Seja mais consciente ao usar a geladeira

A geladeira é um dos eletrodomésticos que mais gastam energia elétrica em nossa casa e isso é inevitável. É necessário mantê-la ligada 24 horas por dia para manter os alimentos refrigerados e, mesmo que fosse possível desligá-la por alguns períodos, não seria viável, pois a energia que o aparelho precisaria para refrigerar os alimentos novamente acabaria compensando o tempo em que passou desligado.

O primeiro passo para reduzir o consumo de energia da geladeira é ser consciente ao abrir e fechar a porta. Esses são momentos em que o consumo vai às alturas, então procure sempre saber onde está cada alimento e evite passar tempo demais com a porta aberta. Além disso, deixe para pegar e guardar as coisas de uma única vez, pois dessa forma você abre menos o refrigerador.

Outro ponto para se prestar atenção é o lugar onde guardar os alimentos dentro da geladeira. Cada prateleira possui um nível de refrigeração diferente, então os potes maiores devem ficar embaixo e os menores em cima. Também é recomendado evitar deixar certos tipos de alimento na porta, pois como ela é aberta frequentemente, eles acabam descongelando mais rapidamente. Quando não distribuímos os alimentos corretamente, o aparelho acaba utilizando mais energia que o normal para refrigerá-los.

Fique atento à manutenção

Um aparelho defeituoso não é problemático apenas em seu funcionamento, mas também pode contribuir com um consumo maior de energia elétrica. Por isso, sempre invista em manutenção preventiva e fique atento a qualquer defeito, pois pode sair caro a longo prazo. O mesmo vale para toda a rede elétrica da casa, que também precisa de manutenções regulares para garantir que não haja nenhum vazamento de energia. Agora que você já sabe quanto uma lâmpada da sua casa consome e como economizar energia, que tal aproveitar para explorar as maravilhas de viver em uma casa inteligente?