Digite abaixo o que você procura

Casa inteligente pode reduzir a conta de luz em até 30%

8 de dezembro de 2020

Com os avanços tecnológicos recentes na área da Internet das Coisas, o conceito das casas inteligentes vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil. Baseada em conectividade entre dispositivos, uma casa inteligente oferece diversos recursos de automação para garantir praticidade e conforto no seu dia a dia. Comandos de voz, controle remoto por smartphone, integração entre ambientes e segurança são apenas alguns dos exemplos que podemos citar. 

Outro fator de destaque quando falamos das casas inteligentes é a economia de energia proporcionada. Essa economia não traz benefícios apenas para o meio-ambiente. Ela impacta diretamente o seu bolso, principalmente quando consideramos as chamadas bandeiras tarifárias implementadas pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica). Segundo especialistas, a redução no consumo pode chegar a até 35%.

A seguir, mostraremos como ocorre essa redução na conta de luz ao utilizarmos os equipamentos adequados em todos os ambientes da residência.

Como funciona uma casa inteligente

As casas inteligentes são ambientes com diversas funções automatizadas, dotadas de sensores, equipamentos e tecnologias que interligam seus eletrodomésticos, iluminação e sistemas de segurança. 

Geralmente, os sistemas das Smart Homes têm um ponto central de controle: o seu smartphone. A partir da tela do celular, você exerce controle total sobre o ambiente, controlando a intensidade da luz, abertura das janelas, eletrodomésticos, entre outros. Algumas das possibilidades trazidas pelas casas inteligentes são:

  • Comandos por voz para luz, TVs, som, entre outros
  • Ativação automática da iluminação ao detectar a presença no cômodo
  • Reprodução de música contínua na casa, acompanhando a sua posição
  • Programação completa de ativação dos eletrodomésticos, como ar-condicionado
  • Interligação dos eletrônicos com acesso à internet
  • Acesso remoto a qualquer elemento da Casa inteligente

Como uma casa inteligente pode reduzir sua conta de luz

Como exemplo de equipamento para uma casa inteligente podemos citar as lâmpadas LED inteligentes. A economia começa pela adoção da tecnologia LED, muito mais eficiente do que as anteriores (uma lâmpada LED de 10W produz aproximadamente a mesma iluminação que um modelo de 60W incandescente). 

Outro detalhe é que as lâmpadas inteligentes podem ter seu brilho ajustado (são dimerizáveis), tornando o ambiente mais confortável para momentos de descanso e gastando ainda menos energia. 

Falando em gastar, alguns dos maiores vilões da economia são os eletroeletrônicos com modos “stand-by” de alto consumo, os chamados “ladrões silenciosos”. Principalmente os aparelhos mais antigos costumavam puxar uma quantidade significativa de energia mesmo quando não estavam em uso. As tomadas inteligentes evitam isso, podendo ter a ativação programada por horário ou por comando. Em todos os outros momentos, você garante que nada plugado nela gastará energia desnecessariamente. 

A utilização da internet e a interligação entre seus vários dispositivos também garante um funcionamento mais eficiente, reduzindo o tempo que os eletrônicos ficam parados à espera do seu comando. 

Por que a energia elétrica está tão cara?

Como dissemos, o custo da energia elétrica tem variado muito no Brasil. Ocorre que em épocas de seca, a redução no volume de água impacta diretamente a capacidade de geração das hidrelétricas, o que requer a ativação de outros tipos de usinas para suprir a demanda. O resultado é um aumento considerável no valor do kWh (Quilowatt-hora).

Como forma de alertar o consumidor para a variação de preços, a ANEEL regulamentou as faixas que nós conhecemos como bandeiras amarelas ou vermelhas. Confira a seguir os valores detalhados de cada uma delas:

Bandeiras Tarifárias da ANEEL

  • Bandeira verde: condições favoráveis de geração de energia. A tarifa não sofre nenhum acréscimo.
  • Bandeira amarela: condições de geração menos favoráveis. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,01343 para cada quilowatt-hora (kWh) consumidos.
  • Bandeira vermelha – Patamar 1: condições mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,04169 para cada quilowatt-hora kWh consumido.
  • Bandeira vermelha – Patamar 2: condições ainda mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,06243 para cada quilowatt-hora kWh consumido.

Considerando o salto entre uma bandeira e outra, fica evidente a importância de investir em sistemas que reduzam o consumo no longo prazo. Atualmente há soluções baratas para os principais componentes inteligentes da casa, como iluminação, segurança e sonorização, o que reduz consideravelmente a barreira de entrada do segmento. 

Com uma casa bem equipada e inteligente, você pode ter a certeza de que, além de economizar nas contas, trará impactos benéficos para o meio-ambiente e muito mais praticidade para curtir o seu dia a dia!

Vale destacar que a ideia da automação não está restrita ao cenário residencial. Pelo contrário: estabelecimentos comerciais podem se beneficiar diretamente da inteligência dos dispositivos, acionando circuitos de iluminação e outros recursos somente na medida necessária.