Digite abaixo o que você procura

Qual a diferença entre potência e velocidade do roteador Wi-Fi?

19 de abril de 2021

Os roteadores Wi-Fi são uma ferramenta fundamental das conexões domésticas e hoje cumprem um papel importante em nossas vidas, mas ainda assim são poucos os que entendem como esses dispositivos realmente funcionam. Sua principal função é transmitir o sinal da internet por toda a casa ou pelo menos parte dela, mas existem tantos modelos com características diferentes que acaba sendo um assunto mais complexo do que imaginamos.

Mesmo com planos de internet de centenas de megabytes de velocidade, é comum que nossa internet possa ficar lenta ou até mesmo inoperante em certos cômodos da casa. Isso acontece principalmente porque a maioria das pessoas costumam manter o roteador provido pela operadora contratada, que raramente são dos melhores modelos disponíveis no mercado. Para usufruir do potencial máximo de sua conexão, é necessário investir em um roteador se baseando em suas duas principais características: potência e velocidade.

Entenda melhor a diferença entre potencial e velocidade e como eles interferem na qualidade da sua conexão doméstica.

O que é a potência de um roteador Wi-Fi?

Primeiramente, vamos entender de forma individual o que cada uma dessas características representa. A potência de um roteador Wi-Fi é o que define o quão longe o sinal da internet pode chegar dentro daquele ambiente. Você já pode ter notado que os roteadores sempre são designados de acordo com sua capacidade de banda, que pode ser dupla (2.4Ghz de 5Ghz) ou tripla (2.4Ghz, 5Ghz ou 6Ghz). São essas frequências que designam a potência do dispositivo, onde logicamente quanto mais, melhor.

Quanto maior a potência, maior o alcance, mesmo com interferências no caminho. Essas frequências funcionam por sinais de rádio que vão se enfraquecendo conforme encontram barreiras, então qualquer parede da casa já diminui o sinal recebido. É por isso que, na maioria das vezes, a conexão só é excelente no cômodo onde o roteador se encontra, mas mal chega a alcançar as partes mais distantes da residência.

Existem dois componentes que determinam a qualidade da potência de um roteador: os rádios Wi-Fi e as antenas. Os rádios são componentes internos e são eles que definem essas frequências de forma individual, então temos um para 2.4Ghz, outro para 5Ghz e por aí vai. Sendo assim, roteadores de banda dupla possuem dois rádios enquanto os de banda tripla possuem três. O papel desses rádios é transmitir o sinal para as antenas, que são as responsáveis por propagá-lo pelo ambiente.

Um erro comum que costumamos cometer é achar que o tamanho da antena é determinante. Antenas grandes podem sim propagar melhor o sinal da internet, mas isso não é uma regra, já que dependendo do modelo uma antena menor pode ser ainda mais eficaz.

O que é a velocidade de um roteador Wi-Fi?

Agora que você já sabe o que é a potência do roteador, de nada adianta investir em um dispositivo super potente e de última geração se o seu plano de internet não for dos melhores. Os roteadores transmitem apenas aquilo que estão recebendo, então quanto mais megabytes de velocidade seu plano dispor, mais conexão terá ao longo da casa, já levando em consideração a possibilidade de potencializar essa distância com o auxílio de alguns modelos mais avançados.

Contudo, as especificações técnicas do dispositivo também definem o quão eficaz ele é em transmitir dados através das ondas de rádio. Isso é o que chamamos de velocidade do roteador, um fator que independe do plano de internet, mas que é definido pela quantidade de Mbps (megabits por segundo). Note que essa transmissão é realizada por megabits e não por megabytes, então é por isso que a velocidade não costuma condizer com seu plano de internet, especialmente em cômodos mais distantes.

Dito tudo isso, podemos concluir que a potência é o quão longe o roteador consegue expandir seu sinal enquanto a velocidade é sua capacidade de transmissão de dados naquele espaço. Com isso, é lógico concluir que um roteador que capriche na potência pode não resolver seu problema, caso sua velocidade deixe a desejar – e o mesmo vale para o plano de internet, que também precisa ser dos bons.

Esse é um conjunto de fatores que precisa ser analisado previamente antes de investir em um novo roteador. É preciso avaliar o tamanho da casa em metros quadrados, número de usuário, dispositivos que serão conectados simultaneamente àquela rede e também a qualidade da conexão disponível no local onde mora. Nem toda região dispõe de conexão por fibra óptica, que atualmente são as mais rápidas do mercado, então esse é um fator determinante ao procurar um novo roteador, já que investir em algo muito potente não faria tanta diferença.

O que define a qualidade e eficácia de um roteador não são suas características em si, mas sim como ele atende suas necessidades. Devido a grande variedade de dispositivos disponíveis no mercado, certamente existe um que se adequa melhor a sua rotina.