Digite abaixo o que você procura

Casas inteligentes são mais seguras para crianças: descubra por quê

28 de dezembro de 2020

Hoje, as crianças não sabem o que é um mundo sem tecnologia e entretenimento digital. Elas crescem cercadas por telas de todos os tipos, seja das TVs, smartphones, tablets ou PCs. Essa é a consequência trazida por um universo em que até mesmo nossos eletrodomésticos estão ligados à internet. 

É justamente nesse contexto de conectividade que surgem as casas inteligentes, uma nova tendência no mercado que vem crescendo rapidamente no Brasil. Essas residências são dotadas de tecnologias e equipamentos que permitem acessar, monitorar e controlar praticamente qualquer cômodo ou recurso à distância.

As Casas Inteligentes e os equipamentos que as compõem não oferecem apenas um ambiente mais interativo para as crianças, elas são também mais seguras, integrando uma série de recursos que minimizam os riscos de acidentes e trazem novas possibilidades de comunicação, mesmo quando não se está presente fisicamente. 

Conheça mais sobre as Casas Inteligentes e seus recursos e descubra por que elas podem ser muito mais seguras para as crianças.

O que são as casas inteligentes?

As Casas Inteligentes (Smart Homes, em inglês) estão diretamente ligadas ao conceito de automação. Tratam-se de residências equipadas com uma série de tecnologias que permitem o monitoramento, controle e acesso aos principais recursos e funções, como por exemplo:

  • Acendimento automático ou programado das lâmpadas
  • Acionamento robotizado de persianas
  • Monitoramento por câmeras Wi-Fi 
  • Programação de controle automático de temperatura do ar condicionado
  • Acionamento de eletrodomésticos por comandos de voz (TVs, caixas de som)

Na automatização convencional, todas essas funções são concentradas em um hub local, geralmente acompanhado de um controle remoto. A era das Casas Inteligentes leva esse conceito adiante: todos esses recursos agora são conectados à internet, o que os torna mais inteligentes e responsivos do que nunca. 

A melhor parte é que você não precisa mais de um controle específico, basta utilizar um app no seu smartphone para ter todos os comandos e informações na palma da sua mão, de onde quer que esteja.

Muito mais segurança para seus filhos

Há diversas formas pelas quais uma casa inteligente se torna mais segura para crianças. Começando pelo básico, as câmeras de segurança conectadas à internet fornecem uma excelente opção de monitoramento do ambiente, contando com sensores de presença e um sistema que inicia a gravação automaticamente, disparando notificações para o seu celular sempre que algo de anormal é detectado.

A função dessas câmeras e sensores pode ser complementada com um sistema de geofencing. Esta é uma técnica que monitora o posicionamento de pessoas no ambiente por imagem ou GPS. Assim você pode limitar quais regiões da casa são seguras, programando alertas caso a criança saia do perímetro definido. Há pulseiras especiais que se conectam à rede da casa e que ajudam a realizar esse monitoramento, garantindo mais segurança para as crianças.

Outro item bastante interessante são as fechaduras digitais acionadas por biometria. Elas dão a segurança necessária principalmente nas portas de entrada, evitando que as crianças destravem a fechadura, intencionalmente ou não. 

Sem chance de acidentes

Um dos itens mais importantes para uma casa inteligente é o sistema de iluminação. Os modelos mais avançados de lâmpadas podem ser combinados com  sensores que ativam as luzes sempre que alguém está no ambiente. Esses equipamentos são ideais para quartos de criança e também para corredores, iluminando o caminho em uma eventual ida ao banheiro durante a madrugada. 

Aliás, falando em iluminação, a maioria das crianças ainda não sabe sobre o custo da energia elétrica. É comum que elas saiam de um cômodo para o outro, deixando todas as luzes acesas pelo caminho. Mais uma vantagem das lâmpadas inteligentes: elas podem ter horários programados para acendimento automático economizando  um bocado de energia.

Outra peça bem importante é o plugue de tomada inteligente. É comum as pessoas recorrerem às capas para evitar acidentes, já que as crianças costumam ser curiosas, principalmente quando começam a engatinhar. Com os plugues inteligentes, você pode literalmente cortar o fornecimento de energia da tomada nos momentos em que ela não está sendo utilizada, praticamente anulando os riscos de choque.

Distantes, mas sempre conectados

Um dos grandes desafios das famílias modernas é agregar todos no mesmo espaço. Muitas vezes a rotina não deixa: mãe ou pai precisam trabalhar enquanto as crianças brincam pela casa. Para esses momentos, as câmeras com sistemas de som integrados são uma ótima forma de manter a comunicação, sem quebrar o ritmo e a concentração nas tarefas. 

Diversão na medida certa

Muitos pais veem os jogos, TVs e smartphones como vilões para as crianças, pelo risco do vício na tecnologia. Contudo, como apontam especialistas na educação infantil, o risco não está na exposição em si, mas no tempo que a criança passa em frente aos eletrônicos. 

Uma forma mais descontraída (e saudável) de introduzir a tecnologia aos pequenos é com o uso de brinquedos inteligentes, conectados ao smartphone. Isso garante uma dose extra de interatividade. Alguns jogos também têm suporte a comandos de voz, o que estimula as habilidades de comunicação na infância. 

Essa pode ser a ferramenta ideal para o aprendizado da criança, que pouco a pouco começará a interagir também com outros dispositivos inteligentes da casa, tendo acesso aos recursos smart de uma forma segura e controlada.